Início Artigos Substratos para orquídeas – Sphagnum, esfagno, musgo

Substratos para orquídeas – Sphagnum, esfagno, musgo

23334
12
Substratos para orquídeas - Sphagnum, esfagno, musgo

Precisa de umidade? Talvez no musgo esteja a solução.

Dando continuidade aos artigos que estou escrevendo sobre substratos, agora é a vez do esfagno.

O esfagno, meio de cultura muito utilizado pelo pessoal das plantas carnívoras, é um ótimo substrato para aquela orquídea que necessita de um pouco mais de umidade. Ou para “dar liga”, quando você coloca uma planta em um tutor muito rígido e seco, como madeira. Quando molhado, pode armazenar em suas células o equivalente a 20 vezes o seu peso seco.

Em casa utilizo-o para plantas bem específicas. Tenho esfagno em minhas caixetas com Masdevallias, Draculas e Dryadellas. Aparentemente, está funcionando muito bem visto que minhas plantas estão cheias de brotos e sempre florindo. Comercialmente, é utilizado principalmente com seedlings e plantas carnívoras.

Bom, segundo o Wikipedia e devidamente corrigido pelo Gabriel Santos, Sphagnum é o único gênero da família Sphagnaceae, que por sua vez é a única família da ordem Sphagnales que, por fim, apresenta-se como a única ordem da suclasse Sphagnidae. Este gênero agrupa cerca de 200 espécies em todo o mundo, podendo ser desde a cor verde até a marron, passando pelo  vermelho.

Utilização

Ótimo em reter umidade, porém, é necessário cuidado. Não é um substrato de longa vida útil. Se usado com adubos orgânicos, atenção: sua durabilidade diminui ainda mais. O ideal é substituí-lo quando começar a se desfazer. Para utilizá-lo é recomendável lavá-lo para retirar sais potencialmente prejudiciais às raízes das plantas.

O esfagno não é um substrato de sustentação, restringindo um pouco seu uso. Por causa disto, muitos orquidófilos o utilizam misturado a outros elementos, principalmente aqueles que retém pouca umidade, como cascas, pedras e isopor. Entretanto, desta forma sua vida útil é ainda menor, sendo necessária troca anual. Na ponta do lápis, torna-se extremamente custoso.

Extração

Assim como o xaxim, o esfagno é protegido por lei no Brasil, tendo sua extração proibida. Sim, extração, pois ainda não temos cultivadores deste musgo aqui no país. Sendo assim, todo musgo de procedência nacional é proveniente de coletas ilegais. Fique ligado, é uma planta de crescimento lento (assim como o xaxim) e sua coleta pode causar sua extinção.

O esfagno legalizado que temos aqui no país é o proveniente do Chile. É colhido nas bordas dos lagos andinos através de manejo sustentável de extração. Em miúdos, isto quer dizer que quando uma área é colhida, a anterior descansa até o musgo regenerar-se. A espécie chilena cresce dentro da água pura dos lagos da montanha, nas margens mais rasas a cerca de 1,5m de profundidade. Perto da linha d’água está a parte mais felpuda, considerado o melhor musgo e, obviamente, o mais caro. Quanto mais fundo, ou seja, perto da terra, ele é mais ralo e barato. A parte do musgo fina e sem pelos não é arrancada do fundo, pois dela sairá a nova brotação.

Um erro comum é pensar que este é o musgo comum que se encontra nos muros, pedras e afins em nossas casas. Não. Lembre-se que existem muitas espécies de musgo, sendo que o esfagno pode ser identificado com alguma segurança pela forma da sua “cabeça”. Claro, há variantes de esfagno que crescem em rochas, pedras e e paredões rochosos. Eles habitam florestas tropicais muito úmidas, como a Mata Atlântica, e/ou regiões com umidade ambiente elevada, sendo facilmente achado na beira de rios e perto de cachoeiras.

Se você conseguir com que o seu musgo brote, pode ser cultivado para uso posterior. As condições necessárias são local muito iluminado, sem sol direto e temperaturas não muito elevadas.

Referências

  • Gabriel Santos
  • biologados.com.br
  • jsalmazo.blogspot.com.br
  • wikipedia.org
  • carnivoras.org
  • orquidecampos

Abraços!

12 COMENTÁRIOS

    • Oi Luciana!

      Sim, este musgo é usado em suculentas sim. Lugar específico para comprar em SP eu não conheço. Normalmente eu compro em orquidários, eles sempre tem. A última vez comprei no Orquidário Chácara Suissa, aqui em Curitiba.

      Abraços

  1. Olá. Excelente matéria! Você saberia me responder porque minhas orquídeas apodrecem quando as cultivo em esfagno puro com brita no fundo? Tenho diversas orquídeas que comprei em orquidário e que vieram plantadas apenas com esfagno e brita e não apodrecem, mas, os vasos que eu monto sempre apodrecem as orquídeas… O que será que posso estar fazendo de errado?

    • OI Marisa, obrigado pelo elogio.

      Talvez seja a espécie ou a qualidade do esfagno que está usando. Estas que vieram no musgo são de que espécie? As que você está plantando no musgo, são de que espécie? Nem todas as espécies toleram a alta umidade do musgo…

      Att

      • Oi Luis Renato,

        Em primeiro lugar, obrigada por desperdiçar o seu precioso tempo ajudando a desconhecidos, é uma atitude muito louvável…

        O esfagno que eu tenho é aquele com a coloração meio arroxeada, acho que é o chileno.

        Algumas das plantas que eu adquiri já no musgo são: brassia verrucosa, dendrochilum wenzelii, pleurothallis alligatorifera, dendrobium pierardii, dendrobium loddigesii, maxillaria tenuifolia, epidendrum…

        Eu já tentei plantar no musgo: algumas mudas de oncidiuns, uma muda de tolumnia, e também, uma mudinha de dendrobium loggigesi destacada da planta mãe (que estava no musgo). Todas elas apodreceram…

        Vou te explicar como monto o vaso: coloco as britas (aprox. 20% do vaso), coloco um pouquinho de esfagno úmido sobre as britas, e depois, enrolo COMPLETAMENTE as raízes da planta com o esfagno úmido, e então, coloco no vaso e acrescento mais esfagno para firmar a planta.

        Será que eu deveria deixar as pontas das raízes ou uma porção das raízes sem envolver no esfagno?

        Fico aguardando resposta e perdoe-me por estar ocupando o seu tempo.

        Agradeço imensamente a atenção.

        Abraço!

        • Oi Marisa

          Desculpe a demora em responder. Eu ia preparar um textão para respondê-la, mas aí me dei conta que tenho isto pronto. Publiquei o seguinte artigo esta semana:

          http://www.orquideas.eco.br/como-replantar-suas-orquideas/

          Nele você poderá ver o pode ajudá-la a plantar corretamente suas orquídeas.

          Mesmo assim, vou dar uns pitacos, já que você passou o nome de algumas de suas plantas. A maioria das minhas plantas estão em um substrato composto de um mix (http://www.orquideas.eco.br/substrato-best-mix-orquideas/). Não que precise ser este (gosto deste pq uso há um tempo e tem sido muito bom para minhas plantas), o importante é que permita a boa fixação de raízes e uma boa ventilação das mesmas.

          Quando você usa o musgo, você pode pecar pelo excesso de água, pois o musgo tende a ficar úmido mais tempo. Neste caso, sempre é bom lembrar que é muito mais fácil matar uma orquídea “afogada” do que de sede.

          Alguns exemplos: minhas Brassia estão em mix e não musgo. Minhas tenuifolias estão em uns pedações velhos de xaxim e pegando quase que sol direto. As outras que você comentou realmente poderiam estar em um vaso com um pouco de musgo, mas eu não colocaria só isto. Lembre-se, as raízes devem respirar. Talvez o fato que você enrola completamente as raízes esteja sufocando-as.

          Leia o artigo que passei no começo (tem outros artigos dentro dele relacionados à vasos, substratos… vai dar uma boa base) e, em caso de mais dúvidas, não deixe de me mandar uma mensagem!

          Grato pelo apoio!

          Abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here