Início Diversos Orquídeas que parecem ser outra coisa

Orquídeas que parecem ser outra coisa

1790
4
COMPARTILHAR
HashFlare

É notório que a natureza sempre nos surpreende com cores e formas. Em alguns casos, seja por coincidência ou necessidade, algumas orquídeas assumem formas bastante curiosas, acabando por parecer coisas – animais, vegetais, humanos, aliens – bem diferentes do que uma singela flor.

Alguns casos o mimetismo focando a sobrevivência é evidente. Em outros, a simples coincidência já faz da flor uma obra de arte espetacular. Vejamos alguns casos:

Dracula simia – Orquídea cara de macaco

Dracula simia (Luer) Luer, Selbyana 2: 197 (1978); Masdevallia simia Luer, Phytologia 39: 229 (1978)

A famosa cara de macaco é uma espécie de orquídea cuja corola, unida aos pistilos e a coloração específica das pétalas, parece dar forma ao a uma carinha engraçada de um macaquinho. Considerada uma flor rara, hoje é possível encontrá-la em orquidários comerciais aqui do Brasil. Aliás, aproveitando a deixa, não acredite naqueles que dizem que vendem sementes destas orquídeas mais raras em anúncios para lá de suspeitos no Mercado Livre, ok? Se quiser saber mais clique aqui e leia sobre o assunto.

Dracula simia - Orquídea cara de macaco - Fonte: tree-nation.com
Dracula simia – Orquídea cara de macaco – Fonte: tree-nation.com

Phalaenopsis – Orquídea mariposa

A comum – velha conhecida dos brasileiros que frequentam mercados e floriculturas – Phalaenopsis nos dá uma visão bastante interessante do que dizem ser uma mariposa. Particularmente, eu não acho muito parecida com uma mariposa. Talvez com uma ave, ao meu ver.

Phalaenopsis - Orquídea mariposa - Foto de José Roberto Rodrigues Araújo
Phalaenopsis – Orquídea mariposa – Foto de José Roberto Rodrigues Araújo

Orchis italica – Orquídea dos homens nus, Flor dos rapazinhos ou Flor dos macaquinhos dependurados

Orchis italica Poiret 1789, Orchis fusca var. stenoloba Coss. & Germ. 1845; Orchis italica f. albiflora Nicora ex Fiori & Paol. 1896; Orchis italica f. breviloba Halácsy 1904; Orchis italica var. fontinalis F.M.Vázquez 2008; Orchis italica f. maculata Soó 1932; Orchis longicornis Lam. 1798; Orchis longicruris Link 1799; Orchis longicruris subsp. longipenis Font Quer & P.Palau 1954; Orchis militaris Poir. 1789; Orchis purpurea subsp. stenoloba (Coss. & Germ.) K.Richt. 1890; Orchis purpurea var. stenoloba (Coss. & Germ.) Willk. 1861; Orchis simia var. undulatifolia (Biv.) Webb 1838; Orchis tephrosanthos Desf. 1799; Orchis tephrosanthos var. undulatifolia (Biv.) Webb 1838; Orchis undulatifolia Biv. 1807; Orchis welwitschii Rchb.f. 1851

É uma orquídea de pequeno a médio porte, podendo atingir até 50 cm de altura, mas o mais frequente é ter dimensões mais modestas entre 20 e 30 centímetros. Distribui-se por toda a região do Mediterrâneo, surgindo geralmente em clareiras de matos, nas encostas de outeiros ou colinas, sobre solos magros, relvados e, em regra, pedregosos, frequentemente calcários. Floresce no final do inverno e na primavera em uma densa inflorescência com as flores superiores abrindo em primeiro lugar.

Orchis italica – Orquídea dos homens nus, Flor dos rapazinhos ou Flor dos macaquinhos dependurados – Foto de Ana Retamero

Ophrys bomybliflora – Orquídea abelha

Ophrys bombyliflora Link 1800; Arachnites bombyliflora Tod. 1842; Ophrys bombylifera Willd. 1805; Ophrys bombyliflora f. buccheriana De Langhe & D’hose 1985; Ophrys canaliculata Viv. 1825; Ophrys disthoma Biv.-Bern. 1813; Ophrys hiulca Mauri ?; Ophrys pulla Ten. 1820; Ophrys tabanifera Willdenow 1805.

Esta orquídea terrestre é encontrada em prados úmidos nas ilhas Canárias, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, Portugal, Espanha, Córsega, Sardenha, Sicília, Itália, Iugoslávia, a Albânia, a leste Ilhas do Mar Egeu, Grécia e Turquia.

Ophrys bomybliflora – Orquídea abelha – Fonte thefeaturedcreature.com

Anguloa uniflora – Orquídea bebê no berço

Anguloa uniflora Ruiz and Pavon 1798; Anguloa mantini hort. 1895; Anguloa uniflora var. treyeranii Rolfe 1891.

Encontradas em elevações de 1400 a 2500 metros na Venezuela, Colômbia, Equador e Peru em florestas montanhosas úmidas.

Anguloa uniflora – Orquídea bebê no berço – Fonte desconhecida

Caleana Major – Orquídea do pato voador

Caleana major R. Brown 1810; Caleana minor R. Br. 1810; Caleya major R.Br. 1813; Caleya minor R.Br. 1826;

Esta orquídea terrestre é encontrada na região da Tasmânia, Austrália do Sul e Nova Zelândia, florescendo na primavera e no verão.

Caleana Major – Orquídea do pato voador – Foto de Mark

Habenaria grandifloriformis – Orquídea-anjo

Habenaria grandifloriformis Blatt. & McCann 1932 SECTION Habenaria; Habenaria grandiflora Lindl. ex Dalzell & Gibson 1861.

Encontrada no sul da Índia, em altitudes em torno de 1000 metros.

Habenaria grandifloriformis – Orquídea-anjo – Foto de gardenofeaden.blogspot.com

Peristeria elata – Orquídea-pombo

Peristeria elata Hooker 1831.

Esta é a flor símbolo do Panamá, encontrada também na Costa Rica Colômbia, Equador e Venezuela em gramados sombreados ou entre pedras nas florestas tropicais entre 100 a 700 metros de altura.

Peristeria elata – Orquídea-pombo – Foto de Saji Antony

Pecteilis radiata – Orquídea garça-branca

Pecteilis radiata [Thunb.] Raf. 1836; Habenaria dianthoides Nevski 1935; Habenaria radiata (Thunb.) Spreng. 1826; Habenaria radiata var. dianthoides (Nevski) Vyschin 1996; Hemihabenaria radiata (Spreng.) Finet 1902; Orchis radiata Thunb. 1794; Orchis susannae Thunb.1784; Pecteilis dianthoides (Nevski) Garay & G.A.Romero 1998; Plantaginorchis dianthoides (Nevski) Szlach. 2004; Plantaginorchis radiata (Thunb.) Szlach. 2004; Platanthera radiata [Thunb.] Lindl. 1835.

Encontrada na Ásia em florestas acima de 1500 metros.

Pecteilis radiata – Orquídea garça-branca – Foto de Rachel Scott-Renouf

Orquídea bailarina

Não achei ainda o nome correto dela, mas eis uma foto:

Orquídea bailarina

Referências

4 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta