Início Artigos Como cultivar orquídeas e tê-las sempre floridas

Como cultivar orquídeas e tê-las sempre floridas

146
0

Lamento informar, mas se você entrou aqui sob o pretexto de saber qual o milagre no cultivo de orquídeas para vê-las floridas o ano inteiro, você caiu no truque mais usado nas redes sociais nos últimos tempos: o clickbait – ou prática usada para atrair tráfego por meio de títulos atrativos e promessas impossíveis.

A boa notícia é que fiz isso por um bom motivo: conhecimento. Mais conhecimento para você! E para não deixar você sem uma resposta, no final do texto vou dizer de forma bem simples como cultivar suas orquídeas e tê-las sempre floridas.

Primeiro, é importante contextualizar o porquê de eu escrever este texto. O leitor deve entender minha motivação ao compartilhar minhas ideias a respeito deste assunto, pois poderá concordar ou não, podendo ser frustrante para alguns ao final do texto.

O ônus e o bônus das redes sociais

Há algum tempo tenho visto um movimento de divulgação nas redes sociais de livros, cursos, apostilas, lives, enfim, conteúdo e mais conteúdo prometendo coisas que, sinceramente, beiram o impossível. Não são poucas pessoas fazendo isso. Por exemplo, se você é um usuário de Instagram e curte imagens de orquídeas, já deve ter esbarrado e contas com nomes sugestivos que pegam imagens da internet (inclusive minhas) e postam oferecendo a famosa fórmula secreta para ter orquídeas sempre floridas.

O texto é sempre meio padrão, inclusive repetindo erros de português e até colocando plantas que nem orquídeas são, falando que todos que desejam ter orquídeas como a da foto floridas o ano todo (outro absurdo, aliás), deve clicar no famoso link azul e comprar o manual de cultivo deles. Sim, tudo se resume a tentar vender um manual que é um apanhado de textos e fotos retirados da internet e muitas vezes não tem nenhum embasamento científico naquilo que oferece.

Ele só consegue cumprir um objetivo: enganar você!

Vale ressaltar que isso vai muito além do Instagram, acontece no Facebook, no Pinterest, no Twitter, enfim, qualquer rede social que a pessoal mal intencionada tenha acesso.

Entenda: quem faz este tipo de coisa não está preocupado com o cultivo da sua orquídea. Estas pessoas desejam apenas enganar você, vendendo algo que, além de ter conteúdo pirateado, é falho, prometendo coisas impossíveis e induzindo muitos a errar ainda mais em seu cultivo. São pessoas da mesma laia daqueles que dizem vender sementes de orquídeas, que você pode ler sobre clicando aqui, ou aquelas que coletam orquídeas na natureza, que você pode ler sobre aqui neste post.

Mas aí você pode se perguntar:

Mas o conteúdo é tão ruim assim?

Alguns dos conteúdos fornecidos até apresentam algumas informações que tem embasamento, afinal, são copiados de locais de confiança. Entretanto, como a premissa é normalmente prometer que você irá ter orquídeas floridas o ano inteiro – ou que você nunca mais irá perder uma orquídea, ele se torna uma obra de ficção e não reflete a realidade daqueles que realmente se dedicam ao hobby.

Por que não reflete a realidade?

A família das orquídeas é extremamente complexa. A grande maioria das espécies floresce apenas uma vez ao ano, se as condições de seu ambiente forem favoráveis a isso. Mesmo as que florescem algumas vezes ao ano precisam que as condições sejam favoráveis a isso. Pois bem, aí entra uma variável muito importante que não é abordada em nenhum manual genérico de cultivo: as especificidades de cada espécie. E entenda, eu disse cada espécie, pois mesmo de um mesmo gênero podemos ter grandes diferenças entre as espécies.

Cada orquídea é única e tem necessidades específicas de luz, temperatura, substrato, ventilação e umidade. Generalizar isso em um texto, prometendo que irá funcionar para todas as orquídeas, é criminoso, pois certamente irá matar mais plantas do que um cultivo específico. Este é o motivo que prego aqui e em minhas redes sociais: conheça a orquídea que você cultiva!

Aí entra outro fator: a procedência da planta que você compra. Orquidários sérios cultivam a planta desde a semente (ou cortes de plantas mãe) e estas orquídeas estão adaptadas ao cultivo fora da natureza. Coisa que quem compra de quem coleta na natureza não tem, além de levar muitas doenças para o resto da coleção (leia mais aqui).

Sabendo a procedência e o nome da planta, você poderá pesquisar em livros e em sites confiáveis a melhor forma de cultivá-la. E como cada espécie tem suas necessidades específicas, dificilmente você irá errar, coisa que o método genérico apresentado pelo método dos aproveitadores da Internet é incapaz de fornecer.

Mas aí você pode se perguntar:

E o que posso fazer a respeito?

Simples: denuncie! Todas as redes permitem que você denuncie perfis que fazem este tipo de coisa e as contas são canceladas. É importante fazer isso para que as informações disponibilizadas nas redes sejam úteis para todos de nossa comunidade, sem enrolação e enganação!

Abraços!

Artigo anteriorA ecologia da doença
Próximo artigoIV Simbraoq – 23 de março – Conservação de orquídeas
Nascido na apaixonante cidade de Curitiba. Fã de Formula 1, trabalha com tecnologia da informação. Divide seu tempo livre entre as suas paixões: família, fotografia, aquarismo e a orquidofilia. Tem quatro gatos e uma ararajuba barulhenta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here