Início Artigos Calda de tiririca – enraizador natural para orquídeas

Calda de tiririca – enraizador natural para orquídeas

1988
8
COMPARTILHAR

Este artigo retrata uma curiosidade que alguns orquidófilos utilizam para reprodução de orquídeas, principalmente por estaqueamento, ou seja, o que é feito com orquídeas terrestres. É importante salientar que deve-se ter muito cuidado ao utilizar este método pois, dependendo da concentração, o efeito é contrário e prejudicial. Entretanto, como meu objetivo é informar e discutir ideias, não poderia deixar de escrever sobre algo que está rolando há algum tempo na Internet e alguns orquidófilos utilizam com muito sucesso.

A planta

A Cyperus rotundus, também conhecida como tiririca ou junça, é uma planta pequena, de rápido desenvolvimento, pertencente à família Cyperaceae e ao gênero Cyperus. Produz pequenos tubérculos de alto poder regenerativo (um único tubérculo cortado pode dar origem a várias plantas) ricos em fitormônios. Essa alta quantidade de fitormônios faz com que a planta seja usada para a produção e enraizamento de outras plantas, principalmente por estaqueamento.

Infelizmente, é uma erva daninha de difícil controle e, consequentemente, um saco de controlar quando há uma infestação.

Bom, pelo menos agora você pode tirar proveito disso, dependendo do caso.

Curiosidades

Proveniente da Índia, é considerada uma das espécies vegetais de maior distribuição no mundo. Está presente em todos os países de clima tropical e subtropical e em muitos de clima temperado. No Hemisfério Norte ocorre a partir do sul dos Estados Unidos e da Europa, aumentando sua presença em direção aos trópicos.

Aqui no Brasil, como a maioria de vocês deve ter notado, ocorre praticamente em toda a extensão territorial.

A grande sacada da tiririca é sua enorme capacidade de multiplicação, podendo formar até 40 toneladas de matéria vegetal por hectare. Ou seja, uma praga. Para isso, extrai o equivalente a 815 kg de sulfato de amônio, 320 kg de cloreto de potássio e 200 kg de superfosfato por hectare, calculados para 30 toneladas de massa vegetal.

Ácido Indol Acético (AIA)

Este é o cara central em toda a questão de utilizar ou não utilizar a calda em qualquer orquídea. Uns dizem que não há problema, outros dizem que temos que ter cuidado com a concentração ao AIA, pois pode queimar raízes e até matar a planta.

O AIA age como um fitorregulador. Fitorreguladores são substâncias utilizadas para interferir no metabolismo (anabolismo e catabolismo) dos vegetais. Os mais conhecidos são hormônios, tanto nas formas naturais (como o AIA) quanto sintéticas. Eles são utilizados para induzir o crescimento de partes ou o todo da planta.

Uso

Quando aplicado diretamente no rizoma, é absorvido e desencadeia processos de formação de calos, que são precursores na formação de raízes. É importante salientar novamente que doses excessivas podem acarretar em inibição da formação de raízes. O ideal é utilizar apenas no (re)plantio de suas orquídeas, ou seja, uma vez só, para dar aquele empurrão que a planta precisa.

Plantas bem adubadas e com substratos arejados não terão problemas de falta de raízes, então não se justifica a aplicação de estimulantes radiculares.

Receita

Existem algumas receitas por aí que usam uma quantidade bem grande de titirica para fazer a calda (do tipo 1 quilo de batatas para 1 litro de água). Como sei que não é fácil conseguir tanto material assim e a alta concentração pode ser prejudicial a planta, vamos fazer uma receita mais básica:

  1. Colha toda tiririca que conseguir (ou junte apenas uma porção generosa, se você tem bastante disponível);
  2. Lave bem e retire toda a terra, deixando apenas a planta;
  3. Junte as folhas e batatinhas no liquidificador e cubra todo material com água;
  4. Bata bem.

Esta calda poderá ser guardada em recipiente escuro, não transparente, pois o ácido indol-acético perde a sua propriedade se for exposto a luz, por até 20 dias.

Como utilizar

Você poderá banhar suas plantas com a calda. Alguns deixam por alguns minutos de molho na calda, outros apenas pulverizam. Fica ao seu critério. É possível, após alguns dias, repetir o processo.

Referências

  • greenme.com.br
  • bonsai.andretoledo.com.br
  • eventosufrpe.com.br
  • aprendendocomasorquideas.blogspot.com.br
  • comofazermudas.com.br
  • arbbis.com
  • mvlocatelli.blogspot.com.br

Abraços!

8 COMENTÁRIOS

    • Oi Jhonnatan

      Como mudei meu orquidário e agora ele é totalmente coberto, mudei um pouco as regras de irrigação. No verão mantenho uma ou duas regas diárias, dependendo do calor. No inverno tenho feito uma a cada 3 ou 5 dias, dependendo do grau de umidade e do frio também. Sempre algo em torno de 2 a 3 minutos.

      Estou bolando um esquema de sensores para fazer isso de forma mais automática ainda.

      Abraços

  1. Bacana, vou fazer a irrigação com o timer aqui tbm, mas meu orquidario é bem pequeno, 15 m2 aprox, vou utilizar 4 bicos aspersores apenas, percebo que a umidade não é muito boa e as raízes não se desenvolvem satisfatoriamente, vou ver se fazendo uma irrigação diaria consigo uma umidade melhor. Para amenizar acabava molhando as orquideas com mangueira diariamente mas nao gostei dos resultados, nada muito expressivo e os bulbos não ficam redondinhos como gostaria

    • Oi Jhonnatan

      Depende muito do que você cultiva na verdade. Eu tenho este sistema em casa por cultivar muita coisa do Equador e região, que demanda muita umidade. Todas que se adaptam a este esquema eu deixo no orquidário. As que não curtem muito isso, deixei em outros locais do meu quintal. O que você cultiva?

      Abraços

  2. Oi, tbm sou curitibana e apaixonada por flores. Essa receita eu não conhecia, sabia somente do alho bravo pra colocar nas flores e orquídeas. Abraços.

  3. Cultivo muita cattleya, algumas walkerianas, leopoldis e alguns hibridos. O substrato que utilizo é casca de macadâmia junto a casca de bauru que acaba não retendo umidade pois aqui tem duas épocas do ano uma muito chuva e outra muito sol, queria deixar a irrigação para época de muito sol. Tinha lido em algum lugar que não é ideal molhar toda vez com a mangueira pq acaba sendo muita água mas tinha que fazer pra ver se deixava a umidade boa, com o sistema de aspersores minha ideia não seria deixar até pingar água do vaso da planta mas só deixá-lo mais úmido e uma vez por semana molhar com a mangueira. O que acha?

    • Desta forma acho que será bom para seu cultivo. Não abandone a rega manual porque ela ajuda a limpar a planta/substrato retirando um pouco dos excessos de sais que ficam das aplicações de adubo. No mais, acho que será um sucesso!

      Abraços

Deixe uma resposta