Início Diversos Irrigação automática no orquidário – como fazer

Irrigação automática no orquidário – como fazer

9510
19
COMPARTILHAR

Já pensou em ter um sistema de irrigação simples, mas que produza um resultado bacana? Já? Olhe o vídeo abaixo:

Bom, confesso que estava perdendo muitas plantas. Um pouco talvez pelo meu descaso, estava sem tempo mesmo para os devidos cuidados. Consequentemente, não estava atento às necessidades delas, principalmente de água.

Desde que reformei meu orquidário em 2013, minhas plantas começaram a passar bons períodos com intervalos grandes de rega, que normalmente eram parcialmente resolvidos apenas com as chuvas, pois eu não tinha tempo de regá-las. Mesmo assim, a forma que eu havia construído o orquidário, com várias toras como cobertura, também favoreceu à secura que o orquidário estava vivendo, pois nem mesmo as chuvas torrenciais conseguiam molhar algumas plantas, principalmente minhas micros, infelizmente. Como resultado, perdi muitas micros, algumas muito especiais.

Resolvi criar vergonha na cara e, aproveitando minhas férias, troquei a cobertura de troncos do meu orquidário por uma nova cobertura de sombrite, como era antes da reforma de 2013 (sim, erramos às vezes, não é?). Troquei o lugar das micros, construí uma nova bancada, demoli o laguinho que tinha ali (estava desativado e tenho outro no quintal) e em seu lugar dei início ao projeto de irrigação automática do orquidário.

Materiais utilizados

  • Bomba de Água com 1 cavalo de potência: no meu caso, comprei uma baratinha no Mercado Livre, da Eletroplas. Gastei 250 reais.
  • Timer digital para controle do tempo em que a bomba irá ficar ligada: eu tinha em casa um sobrando dos meu aquários.
  • Mini aspersor com anti-gotejamento: comprei 12 unidades, usei 10, 2 ficaram na reserva. Gastei 100 reais em uma loja aqui de Curitiba.
  • Tambor de 200 litros: achei na OLX um cara que vendia aqui em Curitiba. Estes tambores são utilizados na importação de produtos, principalmente alimentos. O meu trouxe azeitonas da Argentina (ainda tinha cheiro de azeitonas quando peguei). São usados apenas uma vez e depois vendidos. Paguei 80 reais, parece novo.
  • Canos 25 milímetros: 6 barras de 6 metros, R$ 96,00.
  • Conexões como cotovelos e T´s: incontáveis, mas tinha a maioria em casa. Gastei 10 reais com que precisei.
  • Cola PVC: vidrinho daqueles maiores, com pincel: 12 reais.
  • Registros: 2, para controlar o que entra na bomba e no tambor. 12 reais.
  • Falanges: entrada e saída do tambor, 12 reais.
  • Bóia: para controlar o enchimento do tambor. Gastei 8 reais.
  • Conexões elétricas: para fazer as ligações necessárias. Gastei 12 reais.
  • Total: 592 reais.

Montagem

A montagem é meio que intuitiva, não há muito o que descrever. Primeiramente você terá que fazer o tambor encher como uma caixa dágua, ligado-o à água da rua ou à um sistema de reaproveitamento de água da chuva. A boia vai fazer o serviço de deixar tudo certo, sem transbordar. Antes do tambor, colocar um registro para controlar o fluxo de água para manutenções.

Ligação do tambor e motor
DSC_0249
Bóia no tambor
Registro antes do tambor

Após isto, ligar o tambor à bomba. Colocar a bomba um pouco mais baixa que a saída do tambor, para manter a bomba sempre com água. Coloquei mais um registro antes da bomba, para manutenção da mesma.

DSC_0243
Motor e registro, após o tambor (ligação elétrica temporária nesta foto)

Após isto, fiz todo o sistema suspenso de canos e aspersores.

DSC_0157
Aspersores nos T´s de 25 milímetros. Comprei uns de rosca para facilitar.
DSC_0227
Detalhe do aspersor
DSC_0231
Chegada da bomba e distribuição da água
DSC_0255
Detalhe do aspersor instalado
DSC_0272
Minhas três fileiras de aspersão

Por fim, fiz a parte elétrica e coloquei o timer para regular o tempo de irrigação diário. No meu caso, estou irrigando por 2 minutos todos os dias, às 8 da manhã. A rega logo cedo faz com que a planta tenha tempo de secar ao longo do dia e não dormir molhada (evita doenças, apodrecimento, etc…). Talvez eu faça em dias alternados ou diminua ainda mais o tempo de irrigação, vai depender do clima e da condição das plantas com o tempo. Estou uma fase de teste ainda do período correto de rega. Na água do tambor misturo o Extrato Pirolenhoso. O quê? Se bateu uma curiosidade sobre o Extrato Pirolenhoso, clique aqui e leia meu artigo sobre tema e irá entender porque eu o uso.

O resultado? O resultado é este, em poucos dias:

DSC_0251
Viva! Raízes felizes!

É isto. Este artigo tem o intuito de incentivar os hobbistas a investirem mais em seus ambientes e não cometerem os mesmo erros que eu. Em caso de dúvidas, ficarei feliz em conversar sobre o tema aqui ou nas redes sociais do orquideas.eco.br.

Abraços!

19 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom, Luis. Só me deixou com uma dúvida: aonde você instalou o timer? Foi entre o registro e a bomba ou depois da saída de água da bomba? Agradeço o post e as informações. Abraços!

    • Oi Roseana

      Este timer é o elétrico, não o hidráulico. Ele faz o acionamento da bomba, então entre a rede elétrica e a bomba está o timer digital (custa uns 40 reais aí pela internet). Controlando quando a bomba está ativa ou não, ela se encarrega de puxar a água do tambor e enviar para os aspersores. Acho mais tranquilo do que tentar fazer com o controle de tempo na hidráulica… nem sei se teria como de uma forma barata. Neste caso o motor é acionado 2 minutos por dia e só… se o timer for hidráulico, vc teria que ligar direto na rede de água para ter pressão, aí não teria a bomba mas provavelmente não teria pressão suficiente (aí eu estou chutando, talvez possa até ter dependendo do número de aspersores). No meu caso, como usei 10 aspersores (estou colocando mais 1 para melhorar o sistema – ficarão 11) e ainda a água tem que vencer a altura de 2,5 metros, a bomba foi a melhor solução.

      Abração!

  2. Muito bom, Luis. Só me deixou com uma dúvida: aonde você instalou o timer? Foi entre o registro e a bomba ou depois da saída de água da bomba? Agradeço o post e as informações. Abraços!

    • Oi Roseana

      Este timer é o elétrico, não o hidráulico. Ele faz o acionamento da bomba, então entre a rede elétrica e a bomba está o timer digital (custa uns 40 reais aí pela internet). Controlando quando a bomba está ativa ou não, ela se encarrega de puxar a água do tambor e enviar para os aspersores. Acho mais tranquilo do que tentar fazer com o controle de tempo na hidráulica… nem sei se teria como de uma forma barata. Neste caso o motor é acionado 2 minutos por dia e só… se o timer for hidráulico, vc teria que ligar direto na rede de água para ter pressão, aí não teria a bomba mas provavelmente não teria pressão suficiente (aí eu estou chutando, talvez possa até ter dependendo do número de aspersores). No meu caso, como usei 10 aspersores (estou colocando mais 1 para melhorar o sistema – ficarão 11) e ainda a água tem que vencer a altura de 2,5 metros, a bomba foi a melhor solução.

      Abração!

  3. Parabens Luiz, muito bem montado, excelente.
    Tenho algo parecido (micro aspersores de outra marca). Com a crise da agua, principalmente aqui em SP estou querendo utilizar um tambor igual o seu aproveitando agua da chuva. Utilizo aproximadamente 10 aspersores. A minha duvida é sobre a bomba, não consegui calcular a mesma. Estava pensando (chute)em 1/4 CV mas vi que você utilizou de 1 CV, então acho que a minha ficaria com pouca pressão (altura do orquidário +/- 2 m) . A pressão ficou boa ou está um pouco forte? Também gostaria de saber se foi necessário colocar algum filtro na saída do tambor/bomba para evitar entupimento dos aspersores.
    Obrigado.
    Abraços
    Gilberto

    • Oi Gilberto

      1cv para mim ficou forte, mas como vou aumentar o orquidário (dobrar de tamanho), acredito que ficará de bom tamanho. Utilizo 11 aspersores no momento e tenho pressão de sobra… talvez 1/4cv não seja de todo mal, mas eu chutaria pelo menos 1/2 para ir bem.

      Sobre o filtro, sim, deveria ter colocado, mas não coloquei. Está nos meus planos… aconselho vc a colocar, por precaução, principalmente se for misturar algo na água…

      Abraços

  4. Olá amigo! Qual o tamanho do seu orquidário? Para eu ter idéa do números de aspersores que usarei no meu!
    No meu caso as orquideas ficariam penduradas e abaixo delas bancadas com meus bonsais. Esses aspersores dariam conta? Qual a vasão e marca deles? obrigado

    • Olá Leonardo

      Na data desta postagem, meu orquidário era um pouco diferente. Tinha 30 metros quadrados e, para tal, comprei 10 aspersores para molhar bem tudo ali dentro. Não me preocupei em medir exatamente onde colocar cada um, pois dependia muito do posicionamento das plantas. Pelo que lembro, é um AGROPOLO com corta pingos VERDE, que pela tabela delas dá uma vazão de mais ou menos 100 litros/hora e um raio de mais ou menos 3 metros. Estou refazendo a irrigação do meu orquidário, pois o reformei e agora ele tem 60 metros quadrados. Pretendo automatizar tudo para não me preocupar mais com isso. Em breve estarei fazendo uma nova postagem sobre o tema.

      Abraços

    • Oi Jhonnatan

      Como mudei meu orquidário e agora ele é totalmente coberto, mudei um pouco as regras de irrigação. No verão mantenho uma ou duas regas diárias, dependendo do calor. No inverno tenho feito uma a cada 3 ou 5 dias, dependendo do grau de umidade e do frio também.

      Estou bolando um esquema de sensores para fazer isso de forma mais automática ainda.

      Abraços

  5. Luis Renato, encontrei hoje o seu site. Excelentes postagens! Esse sistema de irrigação tenho um parecido na minha chácara para molhar minha horta e outras plantas. Você é muito didático e simples nas suas explicações. Parabéns!

Deixe uma resposta