Início Artigos Morfologia: o fruto e as sementes das orquídeas

Morfologia: o fruto e as sementes das orquídeas

1429
4
COMPARTILHAR

Pode ser um pensamento cruel para alguns, mas, conforme escrevi no artigo sobre a morfologia das flores, a finalidade real da flor de uma orquídea é ser o chamariz para que insetos sejam atraídos e efetuem a sua polinização. A beleza e o fato que a apreciamos é apenas um bônus que a natureza nos dá.

Polinização

Quando o inseto poliniza a flor e os óvulos no ovário são produzidos, o tubo polínico cresce dentro da coluna até chegar no ovário. Seus núcleos fecundam os óvulos e, então, o ovário começa a se desenvolver, tornando-se o que chamamos de cápsula, fruto ou frutos capsulares. Dentro deste fruto os óvulos se desenvolvem dando origem às sementes, protegidas e alimentadas pelo próprio fruto.

Frutos – ou cápsulas

Quase que a totalidade das orquídeas geram frutos. Suas formas, tamanhos e cores variam bastante, sendo que nas epífitas são mais espessos com paredes carnosas e nas terrestres são mais finos e com paredes delicadas. Sua forma, normalmente triangular mais ou menos arredondada, possui lamelas cujo número varia de três a nove. A exceção é a subfamília Vanilloideae, que possuem uma cápsula que lembra muito uma vagem e, como tal, apresenta sementes bem maiores que as usuais.

DSC_0080
Cápsulas – fruto – de um híbrido

Os frutos podem ser lisos ou rugosos, possuir tricomas (espécie de pelo dos vegetais), verrugas ou protuberâncias em sua superfície. Por se desenvolver do engrossamento do ovário na base da flor, é normalmente dividido em três câmaras. Seu tempo de desenvolvimento varia, dependendo da espécie. Você pode conferir o tempo de maturação das cápsulas de orquídeas lendo meu artigo sobre o tema. Quando finalmente maduro, o fruto seca, “explodindo”, e abre-se em três ou seis partes ao longo do comprimento, mantendo-se sempre preso à inflorescência, ou seja, não se destacando da planta principal.

Quando rompe, o fruto libera a maioria das suas sementes no mesmo local, entre as raízes da planta geradora. Entretanto, e esta é a beleza de toda esta história, as sementes são muito leves e, com isto, são levadas pelo vento também, podendo percorrer grandes distâncias.

Sementes

Excetuando as orquídeas da subfamília Vanilloideae, que possuem sementes maiores, a grande maioria das orquídeas possui sementes microscópicas e leves. Provavelmente, um artifício da natureza para que fazer com que sua propagação seja mais esparsa, pois são facilmente levadas pelo vento. Por serem minúsculas e leves, são constituídas apenas por um pequeno aglomerado de células de cobertura abrigando um embrião, desprovidas ou com pouco tecido de reserva, chamado endosperma.

denseed01
Cápsulas e sementes
denseed02
Detalhe do tamanho das sementes

Cada planta é capaz de produzir milhares de sementes em cada um dos seus frutos. Por possuírem pouco ou nenhum endosperma para se alimentar, nos primeiros estágios o embrião utiliza-se de um processo simbiótico com o fungo Micorriza, que excreta os nutrientes utilizados pela jovem orquídea a partir da decomposição do material encontrado próximo à semente pelo fungo. Os detalhes desta simbiose você pode conhecer no artigo que escrevi sobre a Micorriza, clicando aqui.

Assim que o embrião torna-se capaz de realizar a fotossíntese, passa a alimentar-se deste processo. Com isto, a Micorriza não é mais necessária. Apenas quando a orquídea não é capaz de realizar a fotossíntese é que ela torna-se dependente da Micorriza. Isto acontece com algumas espécies saprófitas.

Assim, o ciclo do crescimento continua, e a orquídea irá se desenvolver até o ponto de, mais uma vez, perpetuar sua espécie através das suas sementes. Você pode ler mais sobre os passos desta evolução da semente até a flor clicando aqui.

Curiosidade: os oportunistas

escrevi aqui no orquideas.eco.br sobre isto, mas é sempre bom lembrar aqueles que não conhecem profundamente o assunto: não caia no golpe das sementes das orquídeas! Se você gosta de comprar produtos online, não deixe-se levar pelos anúncios bonitos e a raridade das plantas em sites como Mercado Livre ou AliExpress. Inúmeros vendedores inescrupulosos utilizam estes meios para lucrar com a boa fé das pessoas, vendendo um produto que simplesmente não existe. Bom, não na mão deles!

Basta um acesso ao Mercado Livre, por exemplo, para você encontrar anúncios que vendem este tipo de mercadoria. Agora me diga, como um vendedor consegue ficar contando sementes microscópicas para enviar o número anunciado? Claro que não consegue! Fora os que tem a audácia de dizer que “é só plantar na terra” – o que a descaracteriza ainda mais das orquídeas, devido à sua necessidade de simbiose com a micorriza. O que eles fazem é mandar qualquer semente no lugar das prometidas. É um crime perfeito para eles, pois quando a semente brotar (se brotar), o cliente não poderá reclamar e já terá perdido seu dinheiro.

O mais importante desta série sobre a morfologia das orquídeas é você aprender o que elas realmente são, como se comportar e quais suas necessidades. Assim, estará apto a cultivá-las sadiamente – e não cairá em golpes assim!

Referências

Abraços!

4 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta